Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CONTRAOFACILITISMO

Blog para debater ideias que recusem o facilitismo em educação.

CONTRAOFACILITISMO

Blog para debater ideias que recusem o facilitismo em educação.

Maio 29, 2017

A experiência da Escola de Esgueira

vai-teaosprofessores

No jornal de hoje «o Público» realça a experiência pedagócica numa escola de Esgueira, em que se cria um ninho, onde um grupo de alunos passa a ter acompanhamento personalizado e ao que é relatado conseguem bons resultados.

Passemos a analisá-la, o processo consiste em ter numa turma além de um professor titular, um professor de apoio, algumas horas, neste caso acho que eram 6 horas. O professor de apoio assume a turma durante esse tempo, enquanto o professor titular vai «trabalhar» com um grupo restrito de alunos, até ao máximo de seis. Estes alunos não serão sempre os mesmos, mas os que demonstrem ter dificuldades na matéria a ser dada. O sistema pressupõe que se sinalize desde o início alunos que tenham dificuldades de entender uma dada matéria, para poderem ser recuperados.

Reparem há investimento em recursos humanos, havendo um professor de apoio que poderá apoiar até 3/4 turmas. Em segundo lugar há a criação de um pequeno grupo de alunos para superar dificuldades. Assim, reconhece-se a necessidade de um apoio mais restrito para um grupo pequeno de alunos, em linguagem comum, um ambiente de explicações. Há ainda uma procura de soluções para problemas de aprendizagem detetados precocemente.

Reparem que hoje se reivindica menos alunos na turma, pelo que a redução de alunos na turma, seria equivalente do ponto de vista financeiro, pois ambas implicam ter mais um professor, se em vez de 4 turmas tivessemos 5. Chegados aqui surge uma outra questão, criar ninhos ou pura e simplesmente reduzir os alunos por turma terão o mesmo impacto pedagógico? Não sei responder, mas ambos os caminhos podem ser soluções, desde que se permita, num número restrito de horas letivas acompanhar mais de perto os alunos com dificuldades de aprendizagem.

Concluindo, melhorar os resultados escolares e reduzir as retenções implica investimento em educação, a contratação de mais professores que permitam melhor acompanhamento individual, havendo várias formas de o fazer, além da deteção precoce dos problemas.