Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CONTRAOFACILITISMO

Blog para debater ideias que recusem o facilitismo em educação.

CONTRAOFACILITISMO

Blog para debater ideias que recusem o facilitismo em educação.

Maio 09, 2018

Este governo do PS e os professores

vai-teaosprofessores

Este governo do PS foi uma oportunidade perdida para valorizar os professores, parecendo ter-se voltado aos tempos da MLR, no que respeita a tudo se fazer para desvalorizar socialmente este grupo profissional.

Foi-o porque neste final de mandato resolveu dar prioridade ao défice indo além do exigido por Bruxelas, o que limitou o investimento na saúde e na educação e na recuperação de rendimentos. Mas, isto não é específico da educação.

Específico da educação foi a não resolução de problemas de professores ou agravando outros, que desvalorizam o seu estatuto social, muitas vezes ficando aquém do que se fez noutros setores. Veja-se o caso da precariedade, onde os critérios não foram o mesmo de outros funcionários públicos tendo os docentes contratados regras mais exigentes para passarem ao quadro.

A progressão na carreira também penalizou os professores, na medida em que enquanto os funcionários públicos podem recuperar todo o tempo de serviço congelado para progredirem (com o sistema de pontos), devido ao seu sistema de avaliação, enquanto os professores ficariam limitados aos dois anos e mais uns meses propostos, alegando o impacto financeiro que teria se os critérios fossem equivalentes e justificando com a especificidade da carreira docente. Mas isto é desvalorizar socialmente os professores, retomando o ataque aos professores que começou com a MLR, que visava em último lugar desvalorizá-los socialmente. Aqui a atitude é mais por omissão e falta de equidade do que uma política mais ativa, mas que leva ao mesmo resultado.

A cereja em cima do bolo são as alterações aos concursos, como a dos horários completos, ou a exclusão das AECs das mesmas prioridades. Alteraram-se regras que funcionavam há vários anos. Esta última introduz distinções entre o trabalho docente, se é feito com contrato com o ministério ou com autoridades locais. Aqui desvalorizamos certos tipos de trabalho docente, que também é uma forma de desvalorizar todo o trabalho docente.

Concluindo esta equipa ministerial não resolveu os problemas dos professores, antes pelo contário ajudou a desvalorizar socialmente estes trabalhadores. Pode não ter recursos financeiros para melhorar, mas podia evitar, tendo sensibilidade social, ter contribuído para agravar as condições de trabalho dos professores, desde remunerações, critérios de progressão, horário de trabalho (onde nada fez), culminando na alteração de regras dos concursos.

Comentar:

CorretorMais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.