Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CONTRAOFACILITISMO

Blog para debater ideias que recusem o facilitismo em educação.

CONTRAOFACILITISMO

Blog para debater ideias que recusem o facilitismo em educação.

Maio 17, 2018

Há alunos que não querem!

vai-teaosprofessores

Gosto de intercalar as análises de política educativa com casos concretos. Há uma forte pressão para que tenhamos as maiores taxas de sucesso possível, ou seja, os 100%. Se não o conseguirmos seremos maus profissionais (é contra este facilitismo que escrevo neste blog). Esta é uma política educativa não escrita, mas presente no dia a dia dos professores, por pressão de alguns diretores e do ministério. Se há insucesso a culpa é do professor, não é do sistema, não é do aluno, não é da família, é o raciocínio instituído!

Vejamos um caso concreto, um aluno não gosta de se levantar cedo e falta sistematicamente às primeiras aulas da manhã, quando não falta toda a manhã. O aluno acumula faltas injustificadas e insucesso escolar. Os professores alertam o DT e o DT alerta a família, tem mesmo uma reunião com o encarregado de educação e com o aluno. Há um compromisso de se alterar o comportamento. Inicia-se um plano de recuperação, quer das faltas, quer do insucesso. 

O plano é comprido com sucesso durante os primeiros dias, mas depois as coisas voltam ao (a)normal, o aluno continua a faltar aos primeiros tempos...

O sistema funcionou a escola representada pelo DT, reuniu com a família e foi estabelecido um plano. Mas o aluno rapidamente deixou de o cumprir, será que a família abrandou a vigilância inicial? 

Neste caso a culpa não é do professor, é do aluno, que acha que tudo lhe cai do céu, como o maná bíblico. Não está habituado a lutar pelo que obtém! Será que o professor devia ignorar os normativos e fechar os olhos? Será que o professor deve ter dois critérios, para chegar aos 100% de sucesso? Será que o professor deve abdicar da sua ética e deontologia profissionar e a todos passar? Não, o professor deve ser professor e deve avaliar e na avaliação há notas negativas, sempre com equidade de tratamento, olhando para o particular e procurando soluções para os problemas, mas não pode substituir-se ao aluno no desejo de aprender e de superar os seus problemas.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.