Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CONTRAOFACILITISMO

Blog para debater ideias que recusem o facilitismo em educação.

CONTRAOFACILITISMO

Blog para debater ideias que recusem o facilitismo em educação.

Outubro 10, 2016

O rigor compensa.

vai-teaosprofessores

Eu tenho este ano uma turma de profissionais que já foram meus alunos no ano passado. Este ano tenho de lhes dar uma disciplina que exige trabalho, em que se falham as bases dificilmente os alunos recuperarão, havendo três módulos que se interligam no sentido de a matéria dada ser necessária para se perceber o módulo seguinte.

No ano anterior, com algumas recuperações, estes alunos perceberam que só passavam se estudassem, claro que levando em conta as notas dos testes, mas também o seu empenho e comportamento na sala de aula. Assim, aconteceu que alguns alunos com negativas altas passaram, porque eram alunos que trabalhavam bem nas aulas e tinham comportamentos adequados, enquanto outros não atingiram a nota positiva porque eram preguiçosos e com comportamentos perturbadores. No final do ano só dois alunos tiveram de fazer exame dos módulos, dos quais um passou.

A criação desta expetativa de que é preciso trabalhar, permitiu que neste segundo ano, as aulas tenham corrido muito bem e que os alunos esforçaram-se para entrar na matéria lecionada, tanto mais que foram avisados das caraterísticas da matéria. Claro que tenho sempre a preocupação de acompanhar os que têm mais dificuldades, mas os alunos mais problemáticos perceberam têm de esforçar-se e ultrapassaram os seus comportamentos habituais, por exemplo, os alunos que chegavam sempre atrasados e mesmo faltavam às aulas, este ano estão mais cumpridores, pelo que acho que terei bons resultados. No ano anterior, com uma turma diferente os resultados foram maus, sendo que era o primeiro ano que trabalhávamos em conjunto, tendo sido difícil ultrapassar os seus hábitos.

Concluindo, a criação de uma expetativa de rigor compensa, podendo dar mais trabalho no ano inicial de trabalho em conjunto, mas depois «o carreiro de cabras transforma-se numa via rápida», aumentando o empenho e mesmo alterando-se hábitos criados.