Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

CONTRAOFACILITISMO

Blog para debater ideias que recusem o facilitismo em educação.

CONTRAOFACILITISMO

Blog para debater ideias que recusem o facilitismo em educação.

Maio 30, 2012

Exames nacionais

vai-teaosprofessores

Os exames estão à porta e continuo a ter alunos muito desinteressados.

Hoje mostrei aos alunos perguntas do exame da época passada, a resposta dada por colegas e quais os critérios de correção propostos pelo Gave, para os alunos terem consciência de qual a melhor resposta a dar.

Claro que em vez deste treino específico de como responder nos exames nacionais, as perguntas de interpretação de textos e de leitura de gráficos, deviam aparecer associadas a teorias económicas, o que nem sempre acontece. Quando acontece a parte teórica vale somente 3 pontos em 20. Ora estou completamente em desacordo com este tipo de perguntas, que levam ao tal treino específico para os exames...

Esta é a realidade e a melhor forma de lidar com ela é prevenir os alunos para os critérios de correção.

Por sua vez o Gave insiste neste tipo de perguntas, dando formação para formatar as correções exigidas, em vez de melhorar as perguntas. Além disso estas intruções são contraditórias com os critérios específicos, onde se considera cada descritor como certo, errado ou incompleto, achando eu que se deveria somente considerar certo ou errado, para perguntas que encerram textos ou gráficos que têm as respostas, devendo o aluno só explicitá-las.

Em vez de formatarem corretores, os srs. do Gave deviam pedir aos zecos opinião do que deveria ser o exame! Alguns de nós têm experiência de décadas, apesar de nem todos terem formação universitária além da licenciatura. Mas também os há com mestrados, pelo que estes, na vossa lógica, devereiam ser ouvidos! Ou além de desvalorizarem a experiência também desvalorização as graduações universitárias com lógicas diferentes das vossas?

Abril 26, 2012

O chumbo por faltas é impeditivo de fazer xames

vai-teaosprofessores

Quero saudar mais esta medida de rigor por parte do governo que visa impedir a realização de exames no ano em que o aluno reprova por faltas a uma disciplina. Um aluno só reprova por faltas se as não justificar e como diretor de turma noto a despreocupação dos alunos com as faltas dadas, só procurando justificá-las quando estão perto do limite de faltas. Esta medida vem sem dúvida implementar uma mentalidade de ida às aulas por parte dos alunos e só devendo faltar por motivos atendíveis.

Pode-se argumentar que esta medida é demasiado dura, ao impedir o aluno de fazer exame, mas face ao facilitismo a que se chegou a mudança de mentalidade só acontece quando há consequências e até agora poderia não haver consequência para as faltas e os alunos tendiam a não se preocupar com isso. A única coisa que não concordo é com a mudança das regras perto do final do ano, mas reconheço que esta medida tomada agora terá um efeito efetivo, porque toda a comunidade escolar fala dela.

Março 21, 2011

O facilitismo do Sousa Tavares

vai-teaosprofessores

Na última edição do Expresso o comentador Sousa Tavares voltou a opinar com base em dados incorrectos, os professores não recebem 25€ por cada prova corrigida, mas 5€. Os professores não corrigem os exames dos alunos da sua escola e os exames são anónimos. Um comentador tem de ter a humildade de não opinar sobre o que não sabe e sendo tão bem pagos até deviam ter uma equipa que lhes fornecesse dados correctos. O que aconteceu com o Sousa Tavares foi facilitismo. Espero que a direcção do jornal corrija os factos e que multe este comentador por desprestigiar o jornal...