Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

CONTRAOFACILITISMO

Blog para debater ideias que recusem o facilitismo em educação.

CONTRAOFACILITISMO

Blog para debater ideias que recusem o facilitismo em educação.

Abril 01, 2014

Os estágios dos cursos profissionais

vai-teaosprofessores

Nos dois últimos anos tenho acompanhado estágios de cursos profissionais de vários cursos. Os alunos ficam entregues a monitores indicados pelas firmas onde vão estagiar.

Tenho reparado que nas firmas privadas os monitores são mais permissivos quanto a faltas. Este ano acompanhei 3 estágios num organismo do Estado e pela primeira vez vi um monitor de estágio a mandar compensar horas por os alunos não estarem no local quando lá foi e a mudar alunos de local de estágio por não se terem enquadrado com a equipa.

Concluindo os privados tendem a ser mais condescendentes e facilitadores no aspeto comportamental e de empenho.

Janeiro 14, 2014

A escolaridade obrigatória até aos 12 anos

vai-teaosprofessores

O congresso do CDS veio levantar o debate sobre a pertinência do prolongamento da escolaridade obrigatória após o nono ano. Apesar de não partilhar a ideologia do CDS, antes pelo contrário, poderá haver pontos de acordo com a doutrina social da Igreja, a que o CDS só se cola quando lhe convém, também tenho dúvidas sobre aumento da escolaridade obrigatória até aos 12 anos. 1º porque estamos a impôr, em vez de criar condições para que esta ideia (em teoria correta) seja aceite pela sociedade através de estimulos e do debate de ideias. 2º tenho-me deparado com muitos alunos nos profissionais que frequentam a escola sem vontade, o que resulta em fracos resultados, quando não são passados administrativamente- ou seja, põe-se o problema debaixo do tapete -, problemas disciplinares e excesso de burocracia com os planos de recuperação de faltas. A minha experiência diz-me que fazer da escola «contentor» de certos alunos para os pais não terem problemas com as comissões de proteção de menores é uma solução que traz para a escola mais problemas. Claro que do ponto de vista do emprego de professores mais alunos forçados a estar na escola significa mais horários.

Assim, acho que faz toda a pertinência debater o assunto e mesmo pensar se os recursos empregues com esses alunos não seriam melhor empregues com alunos motivados, mas a precisar de ajuda?

Dezembro 17, 2013

A escola como local de despejo dos filhos

vai-teaosprofessores

Há um novo fenómeno nas escolas, não sei se já há algum tempo, mas eu sinto-o de forma mais aguda este ano. São aqueles alunos que não querem andar na escola, mas com a escolaridade obrigatória até aos 18 anos vêm à escola passar o tempo. No passado, desde a criação dos cursos profissionais sempre  houve alunos deste tipo, mas em número reduzido, cerca de 3 a 4 por turma. Agora tenho uma turma de 30 alunos com cerca de 50% ausentes ou quando vão às aulas é para perturbarem. Nesta turma a grande maioria de alunos são alunos que não querem andar na escola e perturbam quem quer trabalhar. Estas turmas têm alunos absentistas, só no 1º período já houve uma dezena de planos de recuperação, há problemas de disciplina, há dificuldade em pôr os alunos a trabalhar, alguns estão na aula mas nada fazem...Ser professor nestas circunstâncias é um desafio e um desgaste tremendo para quem não se quer acomodar e resolver o assunto passando todos...Eu olho para a turma pelo lado positivo, os 8/9 alunos que ainda trabalham são o motivo do meu empenho e são esses que me dão animo para continuar, alguns com boas notas tive 2 dezassseis e 1 catorze.

Nesta turma aconteceu-me um caso parecido com o da internet com o telemóvel, em que uma aluna foi apanhada a jogar no telemóvel, recusou-se a entregar o telemóvel e foi mal educada e agressiva quando tentei tirar-lhe o telemóvel. Abandonou a aula e as coisas ficaram por aqui e agora espero que a direção aja. Portanto são turmas que tendem a ter casos de indisciplina graves. Espero que não haja facilitismo com a indisciplina, para podermos salvar os que ainda se empenham!