Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CONTRAOFACILITISMO

Blog para debater ideias que recusem o facilitismo em educação.

CONTRAOFACILITISMO

Blog para debater ideias que recusem o facilitismo em educação.

Janeiro 09, 2019

Um exemplo de verdadeiro ensino profissional e de inserção

vai-teaosprofessores

Vi na semana passada um filme, com a ação localizada numa região fronteiriça dos EUA, com muitos alunos falantes de espanhol e problemas de legalidade. A história é esta: a direção da escola decide criar uma área de projeto, em que os alunos procuram competir num concurso numa universidade californiana, em que construindo um aparelho submersível teriam de desempenhar tarefas como fazer medições, retirar objetos, captar líquidos, etc.

Passando ao «the end», num confronto com universitários ganham o 1º lugar, utilizando soluções de engenharia rudimentares, mas eficazes e imaginativas, porque as suas soluções são de baixo custo. O orçamento foi de 800 $, um décimo dos seus concorrentes.

Este é o objetivo dos cursos profissionais, alncançar resultados palpáveis e estimular a criatividade e a resolução de problemas, com os recursos disponíveis.

No nosso país o ensino profissional, nas escolas secundárias, estão insuficientemente equipadas, aproveitando-se basicamente recursos humanos existentes, pelo que proliferam cursos mais teóricos que práticos. Nas escolas profissionais a realidade é outra, pelo menos em algumas que visitei.

Em relação ao exemplo do filme, o projeto tinha um professor dedicado, o empenho da direção em inserir alunos problemáticos, mostrando a diretora conhecimento pessoal de todos os alunos e a tentativa de envolver as famílias no apoio ao projeto.

Comparando connosco, com os mega agrupamentos, as direções não conhecem individualmente os alunos, poucos agrupamentos têm horas para profesores afetados a projetos especiais para alunos problemáticos.

Concluindo, o exemplo fala por si e realça as diferenças existentes entre as duas realidades, com Portugal com muito que fazer no âmbito da reorganização do ensino e para criar um ensino profissional mais consentâneo com os seus objetivos. A vertente de inserção social daqueles alunos também é um exemplo determinante nesta comparação.